Mosca

Essa ordem reúne as moscas, mosquitos, pernilongos, borrachudos etc. Possui cerca de 120.000 espécies, agrupadas em mais de 100 famílias e distribuídas em 2 subordens: Nematocera e Brachycera. O registro fóssil mais antigo encontrado de um representante dessa ordem data de 225 milhões de anos.


DESCRIÇÃO E BIOLOGIA

Os insetos da subordem Nematocera apresentam antenas mais longas do que o tórax e com mais de 6 segmentos: mosquitos, pernilongos e borrachudos; os da Brachycera possuem antenas curtas com menos de 7 segmentos e com uma arista no último segmento: moscas. Em geral, a cabeça é móvel, olhos laterais compostos e grandes, que ocupam grande parte da cabeça. Mesotórax geralmente desenvolvido. Possui o 1º par de asas membranosas com nervuras mais ou menos ramificadas, o 2º par de asas é atrofiado (halteres ou balancins) e auxilia no equilíbrio durante o vôo. Abdome com o 1º segmento bastante reduzido, fundido ao 2º. Este é transformado em genitália, que nas fêmeas de certos grupos são em forma de tubo. Pode apresentar dimorfismo sexual. Larvas e adultos têm hábitos bastante variados, podendo desenvolver-se tanto em meio aquático como terrestre, as larvas que vivem em meio terrestre se alimentam de matéria orgânica em decomposição, carcaças de animais mortos e excrementos. Já os adultos são geralmente terrestres e polífagos (alimentam-se de inúmeras substâncias), algumas fêmeas hematófagas. A maioria dos dípteros é de vida livre, existindo espécies parasitas na forma adulta.


CICLO DE VIDA

São holometabólicos (desenvolvimento completo) e apresentam reprodução sexuada. Os ovos apresentam formatos variados e, quando em meio líquido, possuem estrutura especial para flutuação. As larvas geralmente são do tipo vermiforme e as pupas podem ser móveis ou imóveis.


DANOS

Existem dípteros de importância agrícola, médica e veterinária. Na médica, encontram-se mosquitos sugadores de sangue, vetores de doenças como a malária, febre amarela, dengue, encefalite, etc. Assim como a mosca doméstica, que pode transmitir tifo e disenteria, e a mosquinha-lambe-olhos, que transmite a conjuntivite. Outra mosca de grande importância, mas que não ocorre no Brasil, é a Tse-tsé, causadora da doença do sono. De importância veterinária, temos a mosca-varejeira, a mosca-do-berne e a mosca-do-chifre.